paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

quinta-feira, junho 16, 2005

Os Passos em Volta da Poesia [de Eugénio de Andrade]


[Pintura: Mário Botas]

A 19 janeiro de 2003 Eugénio de Andrade fazia 80 anos, celebrados por todo o país que gosta de poesia e que aprecia os versos elementares e a busca de um "rigor obstinado" nas palavras, a que se dedicou desde sempre. A minha Biblioteca [a BME] decidiu associar-se às iniciativas que então assinalaram a data, que deslocámos para a sexta-feira anterior, com a modéstia dos recursos e todas as contingências da rotina escolar. Preparámos um programa de leituras de poesia, de que informámos a Fundação Eugénio de Andrade. Segundo os contactos que fizémos, garantiram-nos que o poeta soube do nosso gesto e que pediu que nos agradecessem por isso. Isso bastou-nos.

Chamámos ao acto, citando Herberto Helder, "Os Passos em Volta da Poesia - A Poesia, as Mãos e os Frutos de Eugénio de Andrade". No início queríamos repetir anualmente estas celebrações e estas leituras, à imagem das Leituras Imprevistas, dedicando-as a outros poetas, mas no ano seguinte não voltámos à ideia.

Aquele dia foi preenchido com várias iniciativas, preparadas com suficiente antecedência. Lembro-me das seguintes:
Leituras de poesia durante todo dia, em locais inesperados, para além das próprias salas de aula; o poeta homenageado, de que lemos inúmeros textos editados num caderno, esteve acompanhado de outros nomes, como Miguel Torga, Júlio/ Saúl Dias [também objecto de homenagem nesse dia] e mais alguns outros.

Renomeámos os pavilhões da escola, atribuindo-lhes por alguns dias nomes de figuras da poesia portuguesa [Pav. Eugénio de Andrade, para o central, Pav. Júlio/ Saúl Dias, Pav. Mário Henrique Leiria, Pav. Miguel Torga, Pav. Ana Hatherly, Pav. José Carlos Ary dos Santos], afixando à entrada cartazes com informação breve sobre cada um deles; chamámos pomposamente a esta iniciativa O Passeio dos Poetas.

Acolhemos na Biblioteca uma Exposição sobre Eugénio que circulou depois pelas escolas do concelho, numa iniciativa gerida pela Biblioteca do Fórum Municipal que deu pelo nome de EXPO_Autores.

Realizámos nesse dia mais uma edição das nossas Conversas com Livros, dedicada aos nossos poetas preferidos. Teve lugar, como sempre acontecia, na antiga sala de alunos da João de Barros, rapidamente adaptada a sala de sessões. A mesa era constituída pelo Fernando Almeida e Costa (que leu muito bem um poema... de Lorca, se não me engano), a Maria Teresa Andrade, chefe das funcionárias auxiliares, a Sónia Reis, ex-aluna da escola e devota da poesia, a Maria Lucíla Achando, nossa colega da equipa e professora de Português. E eu, para dar a palavra, e também para a tirar de vez em quando.

Como referi, estas iniciativas, que decorreram ao longo de todo o dia escolar, tiveram o suporte de documentação que preparámos para o efeito; um caderno com todos os textos, com imagens do poeta, nota biográfica, bibliografia, etc. A memória desse dia ainda permanece. Não nos cansamos nunca de andar à volta da poesia.