paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

sábado, junho 11, 2005

Critica, a revista da Secundária de Linda-a-Velha

[fotos do sítio da ESLAV]

Crítica
é o nome da publicação da Escola Secundária de Linda-a-Velha, cuja página pode ser encontrada aqui, clicando em ESLAV. Comprei o exemplar que tenho sobre a secretária na Feira do Livro de Lisboa, vendido por uma aluna desse estabelecimento.

Policopiada a preto e branco no formato do A3 dobrado em caderno, 32 páginas unidas por agrafos, dão à publicação o agradável e funcional aspecto de revista escolar. O aspecto geral, da paginação à arrumação dos temas, do lettering à linguagem dos títulos e dos destaques, deixa uma excelente impressão. Se não erro, a revista Crítica, que vai no seu Ano 6 e nº 16, ganhou em tempos idos prémios no Concurso de jornais do Público na Escola, sob uma aparência mais colorida e impressão de maior qualidade.

O número que corresponde ao 2ª Período, e que custa 1 € [1 EURO BYTE] apresenta uma capa forte exclusivamente dedicada ao "Senhor Gonçalo M. Tavares". A última página, que parece parcialmente desaproveitada, é ocupada com um cartooon da autoria de um aluno. As primeiras páginas são ocupadas com um texto programático acerca do cruzamento de conhecimentos, bastante inspirado por sinal, escrito por um aluno da escola, por um editorial e pelos destaques deste número. Depoimentos, notícias (sobre as eleições na DAE, sobre um Café Concerto, sobre as actividades da escola) e opinião, são as matérias de abertura. Bons textos, devidamente identificados, com nome e foto de autor, numa paginação dinâmica e divertida, são os primeiros indícios de que estamos perante um trabalho de grande qualidade.

Aqui há, verdadeiramente, trabalho de Redacção. Um bom equílibrio entre temas da escola, de notícias a reportagens sobre apectos menos visíveis da realidade escolar, e temas da vida e da cultura à dimensão nacional, com personalidades exteriores à escola, revelam bem a qualiddae deste trabalho. As páginas finais são dedicadas à música, com notícia e opinião, ao cinema e a uma entrevista com Miguel Góis, dos Gato Fedorento, ex-aluno da escola e também director do jornal que então se publicava.


Mas o mais conseguido de todo este número é a matéria de capa: a entrevista com o jovem escritor Gonçalo M. Tavares, funciona com verdeiro leit-motiv de todo o número. Uma longa conversa-entrevista, realizada por três alunas da revista, ocupa as páginas centrais, cuja estrutura de paginação roda 90º, para permitir outro tipo de aproveitamento do formato A3. A mancha da entrevista está bem concebida e convida verdadeiramente à leitura, distribuindo o texto com destaques oportunos e com fotos. A deslocação à FMH (Faculdade de Motricidade Humana) é aproveitada pela equipa para conhecer as instalações da instituição e averiguar acerca dos cursos disponíveis. O dossier é completado com leituras e recensões das obras do escritor, com uma nota biográfica e com textos breves do autor, de vários dos seus livros. Num total de 9 páginas, se incluirmos a capa. O mais original de tudo consiste no facto do número 16 desta revistsa ser organizado a partir das pistas da entrevista e da figura do escritor. Explorando o facto de Gonçalo M. Tavares ter um percurso académico e estritamente pessoal bastante original, a revista pede depoimentos a professores e alunos para saber se se "pode gostar ao mesmo tempo de Português, Matemática e Educação Física".

Textos de qualidade, bem apresentados e com un lettering que facilita a leitura e valoriza os conteúdos, revelam que há na Crítica um bom trabalho de coordenção, uma participação entusiástica por parte dos alunos, bem enquadrados pelos professores, e que cada edição é pensada como uma unidade temática. Um trabalho exemplar.