paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

quarta-feira, dezembro 15, 2004

Ora bolas, Senhor Presidente! Boas Festas e Feliz 2005


«E eis que uma VIRGEM deu à luz a LUZ»

Ora bolas, Senhor Presidente! Isto foi a Lília a falar quando ouvi o (des)esperado discurso do nosso Amigo Jorge a explicar a dissolução da Assembleia e não demitir o (des)governo… Não percebi… Parece que como eu há muita gente que não percebeu nem percebe…

Assim vai este nosso REINO DOS DISPARATES da Lília…

O Governo não governa ou não está em condições de governar e anuncia-se a dissolução da Assembleia da República!

Entretanto o Governo, que não governa, tem um Orçamento, polémico, claro, mesmo sem se conhecer em pormenor, para aprovar e, como é polémico e em princípio não serve, espera-se que seja aprovado pela Assembleia com “a morte” anunciada!

Entretanto, com a dissolução anunciada, espera-se que a Assembleia aprove o Orçamento para 2005 não vá acontecer que ficássemos sem 2005!

Aprovado o Orçamento que ninguém quer, mantém-se o Governo em “plenas funções”! para depois o primeiro pedir a “demissão” e aceitar ficar em “gestão”!!!

O (des)esperado discurso do presidente chega à hora do Noticiário Nobre e com todos os ouvidos atentos aos motivos… o Presidente chega aos motivos e diz que “não é preciso dizer porque são do conhecimento público”!!! O restaurante onde estava de olho na tele para ver se ouvia alguma coisa nem se calou! Afinal não valia a pena!

Ora Bolas, Senhor Presidente, diz-me a Lília furibunda! Então eu tenho um teste marcado sobre determinada matéria, que até vem nos livros, chego ao teste e tenho uma ideia brilhante:

“Minha querida Senhora Professora: as perguntas sobre a matéria que são objecto deste teste, são todas do conhecimento público… Vêm todas nos Livros e nos Jornais e agora até podemos recorrer à Internet. Com os melhores cumprimentos, espero um 20 porque 21 não se usa e faz PUM!!!

Não é correcto. Não é didáctico. Não é pedagógico.

Nesta Paixão da Educação, aberto pelo Gustavo para se debaterem problemas da Escola e baseado na tão “famosa” e “luminosa” como enublada “Aufklärung” que já vi traduzida das mais diversas maneiras até ser confundida com a “iluminação” que não sei se é a eléctrica, se é a pública, se é a concedida pelos “deuses” a alguns e só alguns dos seus “iluminados” para poderem ser os “guias” dos pobres “não iluminados”, precisávamos, de facto, de algumas “LUZES”!

Eu pedia aos “entendidos” e ao ilustre “fundador” desta PAIXÃO” que voltem, de vez em quando às origens para não nos perdermos e assim podermos termos uma base sólida de conversa, embora para uma discussão aberta…

Deixo aqui mais uma achega.
Em francês e tudo para ajudar a perceber!!!

«Et si in thesi l'Aufklärung est chose facile, elle est in hypothesi difficile et longue à réaliser; certes n'être point passif en tant que raison, mais se donner en même temps sa propre loi, est chose facile pour l'homme, qui ne veut qu'être en accord avec sa fin essentielle et qui ne cherche pas à connaître ce qui dépasse son entendement, mais comme l'aspiration à une telle connaissance est presque inévitable et qu'il ne manquera jamais de gens prétendant avec beaucoup d'assurance pouvoir satisfaire cette soif de savoir, il doit être très difficile de maintenir ou d'établir dans la forme de pensée (surtout en celle qui est publique) ce moment négatif (qui constitue l'Aufklärung proprement dite) (Critique de la faculté de juger, Section I, livre II, §40, np128).»


Mas não queria ficar por aqui, claro.

Vou de férias. Vou até aos Açores! Isto é para encher de inveja “os pobres” dos meus colegas que vão ficar aí neste “vale pantanoso estranho de lágrimas e de disparates”.

Eu até pensei, quando comemorei a RESTAURAÇÃO do dia UM de Dezembro, que já não estaria cá… e com o “imenso” trabalho em que me meti, – com A NOMINALIA da minha STerra e com os 500 anos do Gil Vicente que para mim vão desde mais ou menos 1960 / 1970 até depois da “Floresta de Enganos”, lá para 2038 ou pelo menos desde a primeira representação do Auto da Visitação em 1502, temos 500 anos desde 2002!!! até 2038, uma vez que a Floresta, a pré-anunciar as desgraças que aí vinham da Santa Inquisição do MUI grande e poderoso e PIEDOSO D. João III, terá sido representada em 1536, talvez um/dois anos antes da sua morte!

Vou descansar, ou antes, vou tentar descansar e olhando o mar, apesar de aqui o ter também tão perto e tão longe, vou tentar descobrir a “cabulice” do Presidente que nos deixa com esta ESTRANHA PRENDA DE NATAL e ANO NOVO de 2005:

- Um país à deriva… sem rei nem roque… com “partidos” a prometerem não sei quantas “Maiorias Absolutas” e a prometerem o almejado PAÍS DAS MARAVILHAS proposto pela minha LÍLIA, sem ficarmos a saber de certeza certa os motivos desta confusão.


Deixo o meu Teste, Senhor Presidente.

Diga-nos, Senhor Presidente, se tiver tempo para estudar:

- O Senhor aceitou ou foi obrigado a aceitar que o “Fujão” que dizia que não fugia, fugisse?
- Podia e devia ter evitado essa vergonha ou não?
- Acha que foi correcta a sua decisão de Julho de 2004?
- Nomear um 1º Ministro que nunca foi a votos para isso, é ou não correcto e aceitável?
- Porque é que depois chamou aquele “ilustre” comentador das célebres “prédicas” de Domingo e não chamou o que ou “os que” abusivamente interferiram ou “metem o nariz onde não são chamados”?
- Concorda com as “dependência” directas e indirectas em que o Governo tem “toda” a Comunicação Social” por mordomias ou concessões?
- Chegou a fazer um estudo do orçamento que lhe permitisse um juízo de valor objectivo ou não tem tempo nem assessores para isso?
- Além daquele desgoverno que mais ou menos o público conhece, e das dezenas de “guarda-costas”; e das dezenas e dezenas de “condutores”; e do “formigueiro” de “espias” e “piolhos” que enxameavam e enxameiam todos os serviços, … o Senhor sabe ou não sabe as graves “falhas” e “abusos” deste Governo?

Então diga. Aponte o que esteve mal, para que nenhum dos “profetas” das novas “maiorias-absolutas” anunciadas tenha a veleidade de os voltar a cometer. Pode-nos livrar desta “bagunça” ou como está de saída tanto lhe faz?

É que, neste BLOGUE da PAIXÃO da EDUCAÇÃO gostaríamos de deixar aos “alunos” com que trabalhamos alguns valores “a sério” para construirmos um 2005 e FUTURO melhor!

Adeus, até ao meu regresso.

Claro que, na PAZ da ILHA AZUL, no meio daquela imensa A MAR eu vou deitar um olho à Paixão. Consta-me que a Internet já lá chegou!!!

2 Comments:

  • At 4:45 da manhã, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Mas o que é isso... o que vem a ser isso das origens?

     
  • At 2:53 da tarde, Blogger José Rabaça Gaspar said…

    Olá Gustavo! As ORIGENS é a sua proposta de ESCLARECER o que é de facto a tão “famosa” e “luminosa” como enublada “Aufklärung”... Pensei que que tinha sido CLARO. Claro que o que é claro para UNS, pode ser ESCURO para OUTROS!!!
    Mai um abraço. Se puder, claro que mando umas LUZES do PICO ou do vulcão dos CAPELINHOS...

     

Enviar um comentário

<< Home