paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

quarta-feira, novembro 03, 2004

HOJE VOTO EU... as nossas TRADIÇÕES...

HOJE VOTO EU
1. O dia das inDECISÕES
2. Lília no País das UTOPIAS imPossíveis Lília no Reino dos DISPARATES:

É a minha terceira intervenção. Hoje é o dia (a noite) das grandes inDECISÕES.

Não sabemos quem vai ganhar na América e é como se fosse uma decisão e vida ou de morte na nossa casa, rua, aldeia,vila cidade, país, europa, Mundo... Provavelmente, quando publicar o "post" já todos sabem. Duvido. Daqui a um mês podemos ainda não saber!!! Entretanto, com argumentos iguais, ganha sempre o "melhor"!!! Para uns BUSH, para outros KERRY! Em termos simbólicos: ganha o ELEFANTE dos democratas, evidentemente... Ganha o BURRO dos democaratas, evidentemente... Tentei saber o que significavam os símbolos e fiquei "abismado" e "indeciso" como as sondagens, as projecções e as eleições! Conta a lenda... diz a Lília, que nos anos idos em que havia um Presidente Republicano muito forte/manso, um "cartonista" o desenhou como um ELEFANTE, mas manso e "democrata"... Ao mesmo tempo, desenhava o seu opositor "democrata" como um BURRO, mas muito aguerrido e crítico, disfarçado de LEÃO!!!

Vem isto para dizer que não venho nem quero falar das eleições na América. Não são nossas. Eles que decidam. Mas sobretudo perceber que os valores e os símbolos e as leituras não são a mesma coisa. São símbolos e valores culturais demasiado verdes e ambíguos para o meu gosto e para o que podem significar os símbolos e valores culturais ancestrais e telúricos que me interessam...

Claro que as eleições na América, a super-Potência mundial, agora incontestada, não é indiferente. Entretanto, todos já percebemos, com o exemplo de 2004, que nada será igual. Quer ganhe UM, quer ganhe o OUTRO!!!

E é por isso que hoje não me decido se começo ou acabo pela LÍLIA no País das UTOPIAS imPossíveis ou pela LÍLIA no Reino dos DISPARATES. Cheguei à conclusão que é igual.

O que me interesava discutir hoje, ou pôr em debate, para a EDUCAÇÂO e para as ESCOLAS, são três questões muito simples...

1ª - Felizmente, o feriado do Dia de Todos os Santos caiu numa Segunda Feira e assim se evitou o alrido "cretino" das famigeradas "pontes"!!!

2ª - A "ponte" milagrosa deu-me oportunidade de visitar o país profundo das "romarias aos cemitérios" em que se vão lembrar os "finados" os "nossos entes queridos que já partiram", misturando o dia UM de "Todos os Santos" com o dia DOIS "o Dia de Finados ou dos Mortos", decretando que afinal todos foram e SÃO SANTOS, metendo no "INTERVALO", para uns, o dia 31 de Outubro para UM de NOVEMBRO, para outros o dia UM para o dia DOIS de NOVEMBRO, como Halloween uma "prestigiada" festa de Bruxas, máscaras e enfeites, bastante conveniente ao comércio em que se usa o típico e muito português: "trick or treats" (mais-ou-menos: "goluseimas ou partidas") ; e o "PÃO POR DEUS", em que bandos de crianças assaltam as casas dos vizinhos: «...as crianças, no dia de Todos os Santos, pedem o Pão por Deus em todas as casas e vão enchendo os seus pequenos sacos com romãs, nozes, figos, maças, pinhões, rebuçados, pãezinhos pequenos e dinheiro. Há trinta ou quarenta anos, neste dia, encontravam-se mendigos e, ao mesmo tempo, crianças não necessitadas a pedir o Pão por Deus.» Pedem simplesmente "doces ou goluseimas" ou deixam mensagens românticas!!! As "crianças" já mais crescidinhas!!!

Enfim. Sinais dos tempos da globalização e da aculturação.

Hoje não me decido e a LÍLIA não me ajudou a decidir como nas eleições na América, ganhe quem ganhar...

Enquanto hesitarmos se a "globalização" e a descoberta do MUNDO como aldeia Global é a indecisão entre cedermos os nossos costumes e tradições aos usos e costumes mais "chiques", "covenientes" e "comerciais" eu decido que afinal não há "globalização" nenhuma. Há "colonização", há "cedências", há "uniformismo" e o mundo ficará mais POBRE / pobre e a nossa Cultura deixará de o SER...

Há exemplos em escolas a dizer que há outros caminhos e actividades a desenvolver...

Vem aí o Verão de São Martinho e as pistas Culturais , mesmo nossas, são muitas.
Até lá «No dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho».
Entretanto continuo a aderir ao blogue da ROSA e por estes dias volto ao Café com Letras ali por Cacilhas para descobrir amigos e promover ENCONTROS...

1 Comments:

  • At 2:58 da manhã, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    "(...) eu decido que afinal não há "globalização" nenhuma. Há "colonização", há "cedências", há "uniformismo" e o mundo ficará mais POBRE / pobre e a nossa Cultura deixará de o SER..."

    Curiosamente a própria contra-cultura da globalização, que a constesta e persegue os seus líderes pelos 4 cantos do mundo, é um dos bons exemplos da mesma globalização. Hoje existe a figura do activista global: urbano, cosmopolita, fala inglês, e desloca-se com fluência de país para país, pelo menos na Europa. É radical do ponto de vista ideológico, de muitos radicalismos, alternativo, multicultural e relativista. E é contra a globalização. Claro que o seu protesto ganha com os mecanismos da globalização porque se difunde por todos os meios, desde logo a internet que é o instrumento espiritual da globalização.
    Não acho que possamos decidir individualmente se há ou não globalização, do mesmo que não podemos decidir pessoalmente se a história se repete ou se diverge. E também não é claro que a globalização uniformiza ou se só faz isso. Vejo cada momento como uma pluralidade de opções e a realidade como uma coisa cada vez mais complexa, infinitamente complexa. Não sei se a Lília vê como eu...

     

Enviar um comentário

<< Home