paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

quarta-feira, outubro 06, 2004

Vital Moreira sobre o ranking

A crónica semanal de Vital Moreira, publicada às terças no Público e republicada na aba da causa, o outro blog da equipa da causa nossa. Uma veemente tentativa de desmistificar a validade dos rankings. A ler.

2 Comments:

  • At 3:28 da manhã, Blogger José Rabaça Gaspar said…

    É mesmo destas análises lúcidas e outras, ainda mais completas, que precisamos para enfrenatr os problemas. Para além ou em vez de investirem nos "rakings" não seria mais útil investir em equipas que analisassem os verdadeiros problemas e apresentassem pistas de soluções? O Senhor Doutor Vital Moreira não devia estar numa dessas equipas? Temos gente capaz e damo-nos ao luxo de desperdiçar os valores que temos!

     
  • At 1:04 da tarde, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Não me parece que a questão seja do dinheiro gasto... até porque aquilo que o Ministério faz é apenas fornecer os resultados em bruto à imprensa. É depois cada um dos jornais que trata os dados de acordo com os critérios que entender. Apesar de reconhecer pertinência na argumentação de Vital Moreira não concordo com a rasura completa destes resultados que ela sugere. Que as condições socio-económicas das famílias são importantes para o sucesso escolar é uma ideia clara e fácil de aceitar. Mas daí até admitir um determinismo absoluto, no sentido em que o sucesso e o insucesso resultariam de boas condições familiares e da falta dessas condições, respectivamente, parece-me que vai um passo demasiado grande. Por isso é que a minha atitude pessoal é sempre a de fazer uma leitura minuciosa dos resultados, concentrando-me não tanto no sobe-e-desce das posições mas nas próprias experiências das escolas que são reconhecidas e que merecem destaque. O suplemento do Público é um bom exemplo, porque ocupa praticamente mais espaço com artigos sobre as escolas e com a interpretação dos resultados do que com os quadros das classificações. Se as escolas levassem isto a sério... a esta hora teriam grupos de trabalho a estudar os resultados e a fazer contactos com as escolas cuja expeiência de ensino merece ser divulgada e estudada. É o que eu penso.

     

Enviar um comentário

<< Home