paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

quarta-feira, outubro 06, 2004

BOM DIA AO NOVO ANO ESCOLAR...

Hoje é o dia da minha participação oficial como membro deste webblogue. Já fiz a minha apresentação no "despretencioso" blogue:
o SITEMA eScOLAR. Uma visão de fora, pode ser saudável. Se não interessar é só avisarem.

Eu, embora de fora, decidi continuar a ser ESTUDANTE, embora fora do SISTEMA. Mas com a ajuda de quem está implicado no SISTEMA, a minha companheira é professora do QP e vou dando conta do que se passa; e através da Comunicação Social e do que vou vendo porque temos o filho na Escola e a filha no desemprego porque não precisam de Educadoras de Infância, a tentação é falar só dos aspectos negativos... dos disparates. Parei para pensar e decidi optar pelo Positivo e pelo Negativo. Devia ser por esta ordem mas, pelo menos por agora, parece mais prático aprender com os erros e logo que possível inverter o discurso. Por agora é assim e decidi chamar-lhe:

Lília no Reino dos DISPARATES:
Lília no País das UTOPIAS imPossíveis:

Lília no Reino dos DISPARATES:

O Reino dos disparates é infinito. Saíram finalmente as LISTAS. UFF!!! E logo nas primeiras horas as reclamações eram só umas dezenas… daí a umas horas eram só umas centenas, mas nada de grave… depois são afinal milhares e milhares de coisas graves… batotices… atestados que são atestados e atestados que não são atestados… Instalada a bagunça, soluções? Já chega. Basta. Muda-se a equipa ou muda-se esta farsa? Chega de tanto DISPARATE. Mesmo sobre a nova solução informática já há vozes autorizadas a dizerem que não é solução. São erros de mais! É insuficiente.

Retenho uma das ideias que ouvi ou li nestes debates que tem havido. Já em pleno século XXI… perante o desafio de sair da cauda da Europa, tanto dos sete, como dos doze, como dos quinze, como dos vinte e cinco… os desafios são tantos… os problemas a solucionar são tantos e tão pertinentes… que seria de esperar tudo menos esta confusão inicial. Temos muito mais que fazer. O Ministério tinha ou tinha obrigação de ter os melhores técnicos de informática ao seu serviço e ao serviço da Educação. Foi nas Escolas que eles se formaram. Ou não? Ah! Não? Então?

Lília no País das UTOPIAS imPossíveis:

E se os BONS técnicos, que já deram provas, estivessem ao Serviço da Educação e não ao serviço de um qualquer ministro, então tínhamos o problema resolvido. Os Alunos, os Professores, a Educação, não podem estar dependentes de uma qualquer mudança de (des)governo.

Agora, como habitualmente, pede-se aos professores, que não descansaram, que (es)tiveram em férias na expectativa… na incerteza… sob a pressão do medo… sem terem uma ideia do lugar, do espaço, dos alunos que viriam a ter… até do que iriam ensinar… agora, quais super-heróis, pede-se-lhes que ultrapassem, planifiquem, estimulem, recuperem...

Vá lá, aceitem o desafio e mostrem que, como sempre, somos de facto capazes. Não é uma série de imbecilidades que pode destruir o capital de competência, de capacidades de sonho, de aventura, de saberes arduamente adquiridos ao longo de anos e anos por tantos de nós. Esta nobre ARTE de Educar… de Criadores de Criadores… não se compadece com “arrogância”, incompetência, mudanças de “marionetas” dum qualquer Governo.

Os ALUNOS, como Centro e Medida deste SISTEMA eScOLAR, pedem-nos isso e o País e a Humanidade a caminho do Progresso, da Modernidade e da Lucidez, merecem isso e muito mais. «…(a descoberta do homem como ser pensante, capaz de conhecer e transformar o mundo), marca o início da Época Moderna.»

E nós estamos lá ou seremos varridos.
Há aí muitas ideias e propostas positivas. É só ler os "postes" do Gustavo e dos outros companheiros, que sabem fazer as ligações e referências melhor do que eu...

Será assim tão difícil mostrar o que é evidente? Quem tem a solução para os problemas somos nós, os que estão a trabalhar no terreno e não qualquer "iluminado" que é posto a Ministro sem saber porquê nem para QUÊ. Ou se calhar sabe e permite esta série de asneiras, o que é mais grave.

Ali ao lado, mais ameno e menos ambicioso, podem visitar o meu pequeno blogue: " SISTEMAeScOLAR… e na grande REDE: aminhaTEIAnaREDE.

6 Comments:

  • At 2:56 da manhã, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Qualquer coisa falhou nos links que colocou no seu texto. Quando clico sobre não dá para o sítio indicado. Se calhar basta refazer os links e voltar a publicar o post. Amanhã coloco a Teia na coluna da direita. E comentarei no que me parecer o seu texto. O meu post de 2ª feira está lá no fundo, uns metros abaixo, e é sobre o ranking que saiu. Até amanhã, por aqui.

     
  • At 3:21 da manhã, Blogger José Rabaça Gaspar said…

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     
  • At 3:34 da manhã, Blogger José Rabaça Gaspar said…

    Gustavo, obrigado pelo aviso. Já fiz e desfiz mais de 10 vezes e já emendei as ligações. Uma vez que está em linha comunico também que o Manuel Moreira da Cruz se oferece "voluntariamente à força" para colaborar e preencher um dos dias em falta. Pode escolher o nome. Eu sugeri Manuel de la Croix!!! é só a brincar. Manuel Cruz, acho que fica BEM, muita gente o conhece e tem muito a dizer... a criticar e a sugerir... e a propor...

     
  • At 1:23 da tarde, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Quanto ao convite que dirigiu ao Manuel Cruz:
    peça-lhe, por favor que consulte os textos de referência do blog nos [Archivos da paixão]. Se ele se identificar com o projecto e estiver disponível para a rotina dos post quinzenais, penso que será um bom elemento para a equipa. Depois ele que me mande uma mensagem de email para que eu lhe possa dirigir o convite. Mas o tempo na net foge, é veloz...

     
  • At 7:31 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Isto é mesmo esquisito!A minha ignorância destas coisas é terrífica (e não estou nada preocupada com isso) e assim não sei se chegam a algum lado estas palavras,mas o amigo Gustavo merece esta tentativa.
    Não,não sou capaz de escrever coisas tão sérias como as que li por aqui.E já viram as horas?as horas a que esta malta escreve?e que são mais homens que mulheres?Hum...suspeito que haja muita insónia por aí,e muitas "casas portuguesas,com certeza".E mais, eu,cuja língua viperina já fez sucesso,eu não sei se ainda me vêm bater à porta por dizer tudo o que está entalado.Mas lamentavelmente sou incapaz de reflexões tão profundas,embora admire quem ainda tem pachorra,esperança,vontade.As reentrées e os rankings não passam de nuvens de poeira a tentar esconder o verdadeiro horizonte da educação,ou do ensino?,ou do processo?,ou do país?.É o país que está em causa.O país vendido em saldo,embrulhado em papel higiénico para não afligir os bondosos bosses que tão altruisticamente nos estendem as mãos para nos deixar cair de mais alto.Atiram-nos os desafios,as mudanças estruturais,o desenvolvimento,blá,blá,e a gente acena,rasteja,faz mea culpa.Desatamos a fazer malabarismos para remediar o que não tem remédio,a merda que não fizemos,sentindo-nos mal pelos alunos,pela escola,pelos pais,pela reforma,por tudo..afinal,não tem sido esse o objectivo de variadíssimos ministérios?quem tem tirado a dignidade à educação e aos seus agentes?Não,republicanos sim,servos da res publica não!Tudo é política.Pobre,manhosa,enganadora.Lília!estou contigo!Enquanto se admirarem os mais básicos valores que fazem de nós Humanos,como se de excepções se tratassem,querem o quê?Podemos encontrar soluções pontuais mas nunca serão soluções de fundo.Por que o fundo é um buraco negro.Força para quem acredita que pode reconstruir uma casa com alicerces podres.Força!e não se deixem apanhar pelas traves carcomidas.Resistam,mas tenham cuidado pois podem apanhar o mesmo vírus-tratar de fora para dentro o que só se trata de dentro para fora.
    Talvez volte.Não sou bom exemplo.28 anos de professora vacinaram-me.Sou descrente.
    FernandaL

     
  • At 8:03 da tarde, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    "Talvez volte." e "Sou descrente."

    Cara FernadaL:
    não posso "responder" a parte muito substancial do seu texto porque ele traduz um estado de espírito e isso não é um argumento. Apenas posso estar em sintonia ou não estar. Não estou. Por muitos motivos, inclusive aquele que dispõe que cada um de nós se encontra embebido do seu próprio estado de espírito.
    Respondo às duas expressões finais: espero que volte ao sítio porque há muitas maneiras de viver e uma delas é virtual, aqui, quer dizer, em lugar nenhum, frente à pantalha do computador. Ou seja, em todo o lado. Quanto à segunda expressão, eu também não sou crente mas acredito em quem acredita.

    Por outro lado: agora que entrou na [paixão] não quer ficar? E a resposta ao meu mail? O meu convite mantem-se. Aqui pode dizer o que quiser, até aquilo que não quiser. Um abraço.

     

Enviar um comentário

<< Home