paixão da educação

a história de um lento regresso à escola, contada pelo 'próprio'

sexta-feira, setembro 24, 2004

Alunos devem poder avaliar professores?

A questão fracturante foi levantada neste blog por um dos nossos leitores e visitantes. Pano para mangas...

7 Comments:

  • At 6:41 da tarde, Blogger Ana said…

    CLARO QUE SIM!! Na minha faculdade (Católica), todos os semestres os alunos recebem um inquérito para cada disciplina e tem como objectivo um conjunto de perguntas fechadas. Ora estas perguntas permitem avaliar o professor, o conteudo da cadeira e se possivel apresentar outras alternativas para a cadeira leccionada (género caixa de sugestões). Claro que não sei o que acontecem a esses inquéritos, mas no meu entender, deviam ser tidos em conta pelos possuidores de altos cargos.

     
  • At 12:28 da manhã, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Também, ao que sei, acontece o mesmo no ISCTE; e provavelmente noutras faculdades e institutos. O que leva a pensar que a questão até é pacífica. Mas, como comentário puxa comentário, deixe-me colocar outras questões: (1) A avaliação concentra-se na performance do professor, nos conteúdos da cadeira e nos programas, na organização do curso, na estrutura da instituição de ensino, em todos estes aspectos, nestes e noutros? (2) Os resultados da avaliação são publicados e divulgados junto dos alunos (parece que não, segundo afirma a Ana), são objecto de uma publicação selectiva, são publicados em grupo ou acompanhados de uma interpretação? (3) É possível e desejável transferir esta prática de avaliação para outros níveis de ensino, nomeadamemte o secundário?

    Quando dei destaque ao tema estava, por deformação, a pensar no ensino secundário e não no superior, onde afinal a avaliação dos professores parece prática corrente. Tento imaginar as consequências desta prática no secundário e, pelo menos em tese, o exercício parece muito interessante. O que pensa sobre o assunto?

     
  • At 2:51 da manhã, Blogger Meca said…

    Na minha perspectiva, a avaliação do docente deveria avaliar a capacidade pedagógica do mesmo. Esta avaliação deveria fazer parte da avaliação global do docente, influenciando assim na progressão na carreira.
    Em casos mais críticos, não seria má ideia alguma formação pedagógica para os docentes.
    A avaliar os conteúdos da cadeira, programas e a organização do curso, seria uma avaliação à instituição de ensino, o que me parece bastante pertinente.

    Na instituição de ensino que frequento, não existe qualquer tipo de avaliação realizada pelos alunos, gostaria de ter acesso a um formulário de avaliação de outra instituição, ficaria grato se alguém pudesse enviar um formulário. (meca_ue@sapo.pt)

     
  • At 4:35 da tarde, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Estamos completamente de acordo quanto à necessidade de estabelecer programas de formação pedagógica para os professores. Já tenho dúvidas de que os alunos - e eu fui aluno da universidade, obviamente - estejam em condições de produzir uma avaliação independente acerca da prestação pedagógica do docente. Esta dúvida vale para o caso do secundário, por maioria de razão, mas também vale para o universitário. O que não quer dizer que a opinião do aluno deva ser inteiramente desqualificada, uma vez que é o aluno que está no terreno.
    Eu também não tenho nenhum formulário de avaliação de professores e gostarei de ver um. Se me chegar um às mãos darei conta disso aqui ou no blogue secundário Archivos da paixão. Obrigado pelo comentário.

     
  • At 2:19 da manhã, Blogger Ana said…

    No caso especifico da minha universidade(católica)por aquilo que andei a "investigar", a avaliação dos professores é realmente tida em conta.Tanto é que já levou ao re-pensar de algumas disciplinas, bem como à renovação de contrato de alguns professores.Na realidade, apesar do ensino superior ser uma realidade distinta do ensino secundário,acho que deveria ser proveitoso para a escola, poder avaliar o desempenho do docente.A utilização de perguntas fechadas, seria concerteza uma mais valia para poder avaliar os professores. Creio que deveria ser prática corrente, este tipo de avaliação, até porque valorizava a instituição de ensino que os realizaria.
    Demonstraria a preocupação de saber, qual a opinião dos alunos, que a maior parte das vezes não interagem mais em projectos escolares, por não se sentirem ouvidos....

     
  • At 5:13 da tarde, Blogger José Gustavo Teixeira said…

    Apesar de ter algumas dúvidas sobre a modalidade da avaliação no caso do secundário - claramente esta não é uma questão na agenda sindical, muito menos na agenda dos estudantes - concordo com a afirmação de que os alunos não se envoolvem mais em projectos de escola por não se sentirem ouvidos nem tidos em conta. A escola é uma comunidade, uma réplica da sociedade em pequena escala. Nem todos são ouvidos e a voz de alguns cala a voz de outros, independentemente da pertinência do que uns e outros têm para dizer.

     
  • At 11:54 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Obrigado por Blog intiresny

     

Enviar um comentário

<< Home